Texto de apresentação do Comendador José Júlio Rosa Eloy pelo Doutor José Miguel Noras

A nossa terra deve muito ao Comendador José Júlio Rosa Eloy. Sócio-gerente de cinco empresas (três em Santarém e duas em Lisboa), foi o mais jovem escalabitano galardoado com um público louvor pela “brilhante e valiosa colaboração prestada à Feira do Ribatejo”, distinção concedida, a 15 de Janeiro de 1958, pelo Presidente Jacob de Magos Pinto Correia. Mais tarde, sob minha liderança, a edilidade atribuiu-lhe o título de “Scalabitano Ilustre”, corria o ano de 1997. Em termos regionais, foi agraciado pelo semanário “O Mirante” com o Prémio Carreira Empresarial, em parceria com a Nersant, no ano de 2004. Bem antes, já havia recebido o grau honorífico de Comendador do Mérito Agrícola e Industrial. Em 2018, foi condecorado com o Prémio Nacional “Memória e Identidade”, tendo recebido as respectivas insígnias, a 8 de Maio, na Assembleia da República.
Enquanto filantropo de alma inteira, o Comendador José Júlio Eloy foi dirigente das principais instituições escalabitanas: desde a Cruz Vermelha, aos Bombeiros Voluntários, da Santa Casa da Misericórdia, ao Lar de Santo António, da Conferência Académica S. Vicente Paulo ao Albergue Distrital e à Sopa dos Pobres, da Banda dos Bombeiros ao Clube de Santarém, do Grupo de Futebol “Os Leões de Santarém” à Feira do Ribatejo, da Câmara de Santarém à Assembleia Municipal, da Comissão de Conciliação e Julgamento do Tribunal do Trabalho, ao Grémio do Comércio, ao CNEMA e à Escola Profissional do Vale do Tejo… Como referi, em tributo que lhe prestei na cerimónia pública realizada ontem, dia 8 de Janeiro, é mais fácil dizer onde é que José Júlio Eloy não esteve, como incansável dirigente, do que enumerar as largas dezenas de instituições que serviu. Praticamente, só não foi Bispo da nossa Diocese, nem Comandante da EPC. Quanto ao resto, subiu sempre a encosta da solidariedade, deixando um sulco luminoso de entrega, de competência, de sentido de justiça e humanismo, que o tornaram respeitado por todos e enaltecido como um exemplo de vida impoluta, pelos seus muitos admiradores.
Felicitações são, igualmente, devidas ao Rotary Clube de Santarém, presidido pelo Engenheiro Mário Augusto Rebelo, que deu uma lição, nos planos organizativo e institucional, com uma sala à cunha, atestando o valor de Rotary e o prestígio do seu preclaro homenageado.
Renovados parabéns a José Júlio Eloy, a Maria José, sua esposa, a seus filhos, genro e noras, bem como aos seus cinco netos. Toda a sorte é pouca diante do muito que merecem.

José Miguel Noras